herberto helder leitor de raul brandao

Herberto Helder Leitor de Raul Brandão

€10

Rui Torres

Categoria: , .

Descrição do Produto

Análise intertextual do poema-montagem Húmus (1967), de Herberto Helder, no qual o autor re-escreve o romance homónimo de Raul Brandão (1917), fazendo dele o seu húmus textual, onde morte e vida, passado e presente, se misturam. Introduzem-se para isso conceitos teóricos que explicam esta modalidade discursiva, tais como re-leitura, intertextualidade, metalinguagem e paródia, dando especial importância à leitura do poema enquanto acto comunicativo: escrita e leitura, produção e recepção da obra literária, estes alguns dos pólos que a separação entre o poético e o estético manifestam. Estuda-se ainda Raul Brandão e o seu contexto literário, particularmente no que diz respeito à simbologia de Húmus, bem como os testemunhos críticos que constituem a poética de Herberto Helder, legados em prefácios e posfácios a obras suas ou de outros poetas. Uma leitura da simbologia que, atravessando toda a obra do poeta, partilha de redes de significação identificadas no Húmus de Brandão também é apresentada, seguindo-se uma leitura do poema de Helder de acordo com uma classificação operacional de algumas transformações operadas por Helder no texto de Brandão. Da leitura comparativa de ambos os textos resulta ainda a desmontagem da montagem de Helder: os 380 versos do poema, seguidos do excerto respectivo do romance, bem como uma versão combinatória estão disponíveis em formato digital, em CD-ROM anexo à obra.

SOBRE O AUTOR

Rui Torres nasceu no Porto em Abril de 1973. É Doutorado em Literatura (E.U.A.) e fez Pós-doutoramento (Brasil) como bolseiro de Investigação da FCT. Professor Associado da FCHS da UFP, Coordenador do Mestrado em Cultura, Literatura e Hipermédia.

ÍNDICE

PARTE I
Análise e Interpretação

Introdução
1. Re-leitura, re-escrita
2. Húmus, de Raul Brandão
2.1. Raul Brandão, um autor moderno
2.2. Tessitura simbólica do Húmus
2.3. A esfera criadora da linguagem
3. Húmus, de Herberto Hélder
3.1. Experimentalismo(s)
3.2. Para uma poética helderiana
3.3. Metamorfose como autofagia
3.4. Leitura(s) do poema
3.4.1. Paratextualidades: título, epígrafes
3.4.2. Repetições
3.4.3. Estrutura do poema
3.4.4. Transformações
Conclusão
Bibliografia

PARTE II

Desmontagem

PARTE III
Recombinação. Apresentação de Húmus – Poema Contínuo (CD-ROM)

Informação Adicional

Peso 0,178 kg
Dimensões 14,9 × 0,7 × 21 cm
Edição

Ano

2010

Páginas

103

ISBN

978-989-643-063-4

Língua

Português