A Loucura de Ângelo de Lima. Eu Sinto Sempre o que Escrevo

12,00 

… o que a poesia de Ângelo deixa claramente ver ou perceber é um drama. Mas que drama? O do homem Ângelo de Lima? Do poeta? O da própria poesia, ou de cada poema, enquanto realidade que se basta a si própria? Ou da participação mais ou menos conjugada de todos estes elementos?” são as questões essenciais que estruturam o livro, num tempo em que razão e loucura (mental e/ou poética), a par da tradição/inovação, alimentavam a ambiguidade e o confronto de ideias.